Pedófilo de 16 anos Estupra Bebê de 2 anos

Um adolescente pedófilo de dezesseis anos de idade estupra uma criança, um bebê, de apenas dois anos no MS. O estuprador já pratica este tipo de crime há três anos.

Adolescente pedófilo de dezesseis anos de idade estupra uma criança, um bebê, de 2 anos

O adolescente pedófilo já pratica este tipo de crime há 3 anos.

O adolescente pedófilo de dezesseis anos apontado como responsável por estuprar uma menina de dois anos, já esteve envolvido em outros quatro crimes de estupro de vulnerável e corrupção de menor. Os delitos cometidos pelo suspeito começaram em janeiro de 2011, quando ele ainda tinha doze anos, na cidade de Chapadão do Sul. Ele chegou a ser internado na Unei (Unidade Educacional de Internação) Mitaí, que fica em Ponta Porã.

Por volta das 15h50min de domingo (15/06/2014), o adolescente pedófilo foi flagrado saindo de uma área de mata que fica na região do Anhanduizinho, região sul de Campo Grande, segurando a mão da menina. O fato foi flagrado pela mãe e vizinhos. A criança abusada teria saído pelo fundo da residência, que está em obras, sem que a mãe percebesse, e foi abordada pelo pedófilo estuprador.

Diante das indagações da genitora da vítima que estava assustada, pois não o conhecia, o jovem pedófilo se limitou a dizer que levou a menina até a área de mata para pegar folha de mamona. Com a confusão, a criança estuprada começou a chorar e apontar para o rapaz pedófilo dizendo que ele passou a mão nela por dentro da calcinha. A menina tinha sinais de arranhões pelo corpo provocados pelo mato intenso. Com a aglomeração de populares, o adolescente estuprador pegou a bicicleta e fugiu. Os vizinhos ligaram para a polícia para fazer a denúncia e começaram a procurar o adolescente pedófilo, que não foi localizado. A criança violentada passou por exame de corpo de delito na manhã desta segunda-feira (16/06/2014) no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), e a polícia ainda não conseguiu localizar o adolescente estuprador. O caso foi registrado no fim de semana na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, região sul de Campo Grande, como estupro de vulnerável e deve ser encaminhado para a DEPCA (Delegacia Especializada na Proteção da Criança e do Adolescente).

Flagrado

O suspeito começou a praticar os delitos contra crianças aos doze anos de idade. O garoto pedófilo as atraía com o convite para brincar, mas acabava tirando as roupa delas e tentando abusar sexualmente. Em janeiro de 2013, o pedófilo foi flagrado cometendo o estupro de vulnerável na cidade do interior de Mato Grosso do Sul. Na época com 14 anos, ele convidou um menino de 8 anos para ir à casa dele jogar videogame. Com a vítima dentro do imóvel, ele trancou a casa e tirou a roupa do menino que começou a gritar. Em um ato de distração, a criança fugiu e contou sobre o abuso para a mãe. A polícia foi chamada e o adolescente pedófilo foi encaminhado para a delegacia com o pai, que estava trabalhando no momento do fato. O adolescente negou o abuso sexual, mas a vítima confirmou o crime. Com o flagrante, outra denúncia de estupro foi registrada. Ele teria aliciado outra criança, porém com deficiência. O pai do suspeito de estupro chegou a dizer que o filho pedófilo estava sendo acompanhado por um psicólogo. Após ser internado na Unei, o rapaz veio para Campo Grande, onde estava aos cuidados da avó.

Anúncios

Adolescente De 13 anos Estupra Primo de 9 Anos, em Roraima

Um jovem adolescente de treze anos de idade é detido por estuprar seu primo de nove anos, em Roraima.

A vítima do estupro afirma que esta é a segunda vez que o sodomita a estupra. Após depoimento, o adolescente estuprador foi encaminhado a centro socioeducativo.

adolescente de 13 anos foi apreendido na noite dessa terça-feira (08/07/2014) suspeito de estuprar o próprio primo, de 9 anos, em um sítio localizado na região do Passarão, zona Rural de Boa Vista. De acordo com a PM (Polícia Militar), depois do jogo do Brasil contra a Alemanha, o acusado de abuso sexual e a criança foram a um igarapé para tomarem banho, onde teria ocorrido a violência sexual. Segundo contou a criança à polícia, ao chegar ao igarapé, o seu primo tirou o calção e iniciou o abuso sexual. Ela disse ter pedido para o adolescente parar, mas ele ‘não ligou’ e ameaçou agredi-la, caso contasse para alguém. O menino enfatizou ainda que esta não é a primeira vez que foi estuprado pelo próprio familiar. “Em outro jogo do Brasil, ele fez ‘ousadia’ comigo. Ontem (terça, 08/07/2014), foi a segunda vez. Ele me segurou pelas pernas. Isso aconteceu na beira do igarapé”, afirmou a vítima de violência sexual à polícia.

A criança conta ainda que ouviu sua mãe chamar por ela quando estava sendo abusada sexualmente, momento em que o adolescente abusador se assustou e a mandou ir embora pelo meio do mato. “Cheguei em casa chorando. Minha mãe perguntou o que havia acontecido. Eu falei e ela ligou para a polícia”, disse.

O adolescente foi detido e negou aos policiais o estupro. Ele foi conduzido ao Plantão Policial Especializado, na Central de Flagrantes 2. Em depoimento, na presença dos responsáveis, ele voltou a negar a violência sexual e alegou que era “muito amigo” da vítima. Após prestar esclarecimentos, ele foi autuado em flagrante delito por ato infracional e encaminhando ao CSE (Centro Socioeducativo), onde cumprirá medidas disciplinares.

Adolescente Pedófilo de 13 anos estupra criança de 5, em Campo Mourão

Um adolescente pedófilo de treze anos de idade é acusado de estuprar um menino de cinco em Campo Mourão.

A denúncia partiu da mãe da criança. Ela contou aos policiais que ficou sabendo do crime quando chegou a casa, por volta das 17h30m desta quinta-feira (03/07/2014). O caso ocorreu no Jardim Tropical II, bairro em Campo Mourão cidade no Paraná.

De acordo com a mãe, seu vizinho, de 13 anos, teria abusado sexualmente de seu filho, uma criança de apenas cinco anos de idade. Diante da denúncia, a PM (Polícia Militar) foi até a residência do acusado de estupro, mas a mãe do menor estuprador avisou aos policiais que ele havia ido ao Parque de Exposições. A criança e a mãe foram encaminhados para a delegacia para que fosse tomado as providências cabíveis ao caso.