Pedófilos de 12 e 14 anos Afogam Criança de 5

Adolescentes pedófilos de doze e quatorze anos agridem menino de cinco anos e o afogam em Itaúna. A criança, ameaçada de abuso sexual, chorou muito e acabou espancada até a morte. Os adolescentes pedófilos tiveram a internação cautelar decretada pela Justiça, mas ainda não há vagas e os dois jovens agressores continuam em liberdade.
A Polícia Civil concluiu as investigações sobre um crime bárbaro em Itaúna, na Região Central de Minas Gerais. Dois jovens pedófilos, de 12 e 14 anos, agrediram uma criança de cinco anos a pauladas e jogaram o menino em um lago. Os agressores pedófilos foram ouvidos e o delegado responsável pelo caso, Weslley Amaral de Castro, pediu a detenção cautelar de ambos. O Ministério Público e a Justiça aceitaram a solicitação para os menores pedófilos, mas segundo o delegado, ainda não há vagas para a internação dos pedófilos infratores.
O crime aconteceu na última sexta-feira, quando os três foram brincar perto de um lago na zona rural da cidade. O adolescente pedófilo V., de 14 anos, era amigo do pequeno Enzo Henrique Campos. Ele levou a criança e chamou outro conhecido, o menor pedófilo G., de 12 anos. De acordo com o delegado, G. propôs ao colega estuprar a criança. A polícia ainda não tem certeza se a violência sexual foi concretizada. Com medo, Enzo começou a chorar e disse que contaria para a polícia que os dois tentaram abusar dele. G. agrediu o menino e pediu ajuda de V. para matá-lo. Os jovens pedófilos deram chutes e socos e usaram um pedaço de pau para espancar a criança.
Depois, jogaram Enzo ainda vivo no lago, mas a criança conseguiu sair, cuspindo muita água e sem fôlego. Os adolescentes pedófilos então pegaram jogaram a criança na parte funda do lago, para que ele não conseguisse voltar. Enzo ficou desaparecido nas águas até a família sentir falta e a história macabra de assassinato ser revelada ainda no mesmo dia da morte.

Investigações

O delegado Castro, na sexta-feira, levou os dois adolescentes ao local do crime pedindo que contassem as versões sobre a morte de Enzo. Primeiramente, omitiram detalhes, dizendo que houve uma briga e acabaram jogando o menino na água. Eles foram liberados pelo delegado, que marcou uma acareação para essa segunda-feira. Na delegacia, a verdade começou a ser revelada quando os policiais confrontaram os relatos de G. e V.Segundo Castro, o adolescente pedófilo de 12 anos é o “cabeça” do crime. “Ele é mentiroso, frio e calculista”, relata o delegado. O menor já têm passagens pela polícia por furto e uso de drogas e agora teve a internação cautelar de 45 dias determinada pelo MP. “É um adolescente perigoso que pode causar problemas para a sociedade”, afirma o policial, justificando a necessidade do acautelamento.
Deficiência estatal
A cidade de Itaúna não tem centro socioeducativo para adolescentes infratores, o que o delegado considera uma “deficiência estatal”. De acordo com o delegado, há um projeto de construção de uma Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) com área especial para internação de adolescentes infratores, mas ainda não existe previsão para conclusão da unidade que contará com investimento da iniciativa privada.
Conforme o delegado, o município registra casos envolvendo adolescentes pelo menos três vezes por semana. São crimes de tráfico de drogas e homicídio. No caso do menor de 12 anos envolvido no crime contra Enzo, a internação deve ser em Belo Horizonte, assim que houver vaga.
Comoção social 

O delegado disse que o crime contra a criança causou extrema comoção social e mobilizou os familiares da vítima. Revoltados, eles queimaram a casa do pedófilo de 14 anos e ameaçaram invadir a delegacia para matar os adolescentes pedófilos quando passavam pela acareação. Os adolescentes precisaram usar coletes à prova de balas na unidade policial. O delegado teme pela vida dos adolescentes pedófilos infratores, que continuam livres na cidade.

Fonte: Pedófilos de 12 e 14 anos Afogam Criança de 5

Jovem pedófilo de 13 anos estupra criança de 8 anos

Uma mulher, de 33 anos, que reside na região do Jardim Europa, em Bauru, procurou a polícia nesta quinta-feira (5/12/2013) para registrar uma ocorrência envolvendo seu filho de oito anos de idade, que teria sido estuprado por um homem, de treze anos, na favela localizada no mesmo bairro.

De acordo com a denúncia, o abuso sexualmente teria acontecido na última sexta-feira (29/11/2013), por volta das 17 horas. A mãe do menino disse ainda que, na sexta-feira, o seu filho teria dito que iria brincar próximo de casa.

Ao retornar à residência, não havia se queixado de nada para os pais, fato que ocorreu no dia seguinte, quando a criança começou a reclamar de dores e sangramento na região do reto. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Esse adolescente pedófilo, por ter menos de 14 anos, é considerado incapaz não podendo responder nem por ato infracional de acordo com a legislação atual.

Fonte: Jovem pedófilo de 13 anos estupra criança de 8 anos